BloomCast comunica aniversário da AESE Business School

BloomCast marketeer AESE comunicar os 40 anos

A BloomCast Consulting é a agência escolhida para comunicar os 40 anos da AESE Business School, escola de negócios cujo aniversário será comemorado com um ciclo de conferências. Ao assegurar os serviços de assessoria mediática, a consultora tem como principal objectivo reforçar a visibilidade e notoriedade da AESE enquanto entidade de referência no espaço da formação executiva em Portugal.

«É com profunda satisfação que colaboramos na comunicação de um marco tão importante na história da AESE. Partilhamos a crença profunda na importância da aprendizagem contínua, um conceito essencial para uma escola de negócios e que é um pilar essencial da competitividade das empresas», comenta Rodolfo Oliveira, managing partner da BloomCast Consulting.

Sobre o ciclo de conferências que a AESE irá promover, a agência indica que serão abordados temas considerados essenciais à compreensão do mundo complexo em que vivemos. A degradação do ambiente e dos recursos naturais, as desigualdades sociais, a justiça, a liderança e o governo global vão ser alguns dos temas em cima da mesa.

Mais informações aqui .

In  Marketeer.

 

Pode ler, aqui, outras notícias da BloomCast.

Projeto: OrCam Technologies, uma visão do futuro

BloomCast Consulting OrCam

OS NOSSOS PROJETOS

 

A OrCam Technologies é uma empresa israelita líder em soluções de assistência baseadas em inteligência artificial, que conta com dois produtos, OrCam MyEye e OrCam Read para auxiliar as pessoas cegas e visualmente incapacitadas.

A OrCam é cliente da BloomCast desde outubro de 2019, e tem vindo a reforçar a sua presença no mercado português, criando uma sólida rede de parcerias e comunicando de forma consistente e coerente, através de mensagens-chave impactantes.

 

O DESAFIO LANÇADO:

Aumentar a notoriedade e reconhecimento dos produtos OrCam no mercado português, posicionando-os como uma referência nos setores da inovação, da tecnologia de assistência e da saúde.

Para isto, é necessário trabalhar a comunicação de temas sensíveis afetos à deficiência, à cegueira e à dislexia e à educação, comunicando os seus produtos direta e indiretamente através destes temas. O maior desafio residia em criar mensagens que mostrassem as dificuldades que as pessoas com algum tipo de limitação visual passam, e como os produtos da OrCam poderão ajudar a ultrapassar as mesmas em vários contextos do dia-a-dia, bem como no trabalho e instituições de aprendizagem.

Adicionalmente, criar ligação com os vários públicos-alvo (pessoas com baixa visão, familiares de pessoas com baixa visão, profissionais de saúde, organizações, público em geral) é um objetivo do cliente, já que o mercado de soluções de assistência de visão é muito saturado, logo é necessário dar a conhecer o quão inovadores os produtos da OrCam Technologies são.

Finalmente, a OrCam pretendia obter embaixadores da marca, fazer trabalho junto de influencers e divulgar parcerias com influencers internacionais, trabalhando o aspeto digital e jovem da marca. A equipa da BloomCast está também responsável por mediar as parcerias que a OrCam Technologies foi formando em Portugal, especialmente com instituições de ensino.

A NOSSA RESPOSTA

Deliverables:

  • Estratégia de Media Relations
  • Comunicação One-to-One com OCS específicos
  • Fortalecimento de relação com os jornalistas nacionais
  • Mediação de parcerias com instituições de ensino
  • Sugestão e coordenação de ações com influencers e brand ambassadors

 

Entrevista Orcam SIC bloomcast consulting

https://sicnoticias.pt/programas/futurohoje/2019-11-12-Uma-camara-que-ajuda-a-ver

OrCam - Exame informática Bloomcast

https://visao.sapo.pt/exameinformatica/videos-ei/eitv/2019-11-11-Exame-Informatica-TV-n-666/

 

A abordagem escolhida tem sido uma comunicação de lançamentos dos produtos, prémios, e histórias de utilizadores e embaixadores da marca. Adicionalmente, através de artigos de opinião e entrevistas tem sido mantida uma presença regular de Fabio Rodriguez, Country Manager de Portugal e Espanha, apresentando o expertise da empresa nos setores previamente mencionados.

Forbes entrevista orcam bloomcast

https://www.forbespt.com/vendas-da-orcam-technologies-atingem-130-em-portugal/

Em setembro de 2020, a marca divulgou uma parceria com a lenda do futebol Lionel Messi. O projeto pretende dar a conhecer as soluções de tecnologia de assistência visual e torná-las mais acessíveis a pessoas com várias dificuldades de visão, sensibilizando também para os desafios enfrentados pelas pessoas cegas ou com deficiências visuais. Como parte integrante desta parceria, a OrCam levará o Messi a conhecer dezenas de pessoas cegas em todo o mundo, de modo a tornar sonhos em realidade: conhecer a estrela de futebol cara-a-cara e receber do jogador um OrCam MyEye. Apesar de não haver nenhum utilizador português, a divulgação da história do utilizador brasileiro teve um grande impacto nacionalmente.

OrCam - Observador bloomcast

https://observador.pt/2020/09/09/o-trajeto-de-superacao-de-mizael-conrado-que-comoveu-messi-o-primeiro-embaixador-da-orcam-technologies/

De modo a reforçar a identidade portuguesa da marca, tem ainda sido feito um extenso trabalho relacional junto dos parceiros no setor da educação (Biblioteca Nacional de Portugal, a Escola Maria Amália Vaz de Camões (em Lisboa) e o Instituto Politécnico de Leiria) e no setor da baixa visão (SERTEC e Ataraxia). No Dia Mundial do Livro, a 23 de abril de 2021, os mesmo foram envolvidos pela BloomCast numa ação de awareness relativa ao desafio da leitura para pessoas com baixa visão. O vídeo de Youtube desta colaboração foi partilhado nas redes sociais da OrCam Technologies.

 

“Quando entrámos no mercado português em 2019, percebemos que precisávamos de um parceiro para dois tópicos cruciais: ajudar-nos a aumentar o brand awareness e aumentar o conhecimento da população portuguesa acerca dos desafios que as pessoas com dificuldades de visão enfrentam. A BloomCast provou-se desde inicio um parceiro fantástico e, num espaço de meses começámos a ver resultados em meios de comunicação de renome, que nos permitiram posicionar como os melhores inovadores na indústria. A nossa forte posição de vendas no país é uma combinação de muitos fatores, mas temos a noção que o trabalho da BloomCast tem sido uma contribuição crucial” – refere Fábio Rodríguez, Country Manager de Portugal e Espanha da OrCam Technologies.

 

Descubra, aqui, mais acerca das soluções OrCam Technologies, que estão a mudar a vida de milhares de pessoas em todo o mundo.

Aqui, para ver outros Casos de Sucesso.

 

Entrevista PME Magazine: “A presença digital ganhou uma relevância maior”

pme magazine rodolfo oliveira bloomcast

A consultora de comunicação, BloomCast Consulting, foi fundada em 2012, nasce com a missão de ser uma “ponte” entre os negócios e as estratégias de comunicação para os públicos-alvo das empresas. Desenvolve várias estratégias consoante os canais em questão, garantindo cinco valores chave: o foco no cliente, a transparência, a integridade, a excelência e a cidadania.

Em entrevista à PME Magazine, Rodolfo Oliveira, o Managing Partner da Bloomcast Consulting, analisa os últimos anos da empresa, evidenciando como é que a própria se adaptou à crise pandémica e de que modo é que a transformação digital foi crucial para o contínuo desempenho das atividades da Bloomcast e das PME e startups.

PME Magazine (PME Mag.) – Tome em consideração este último ano. Qual considera ter sido o maior desafio, em consequência da pandemia covid-19, que a Bloomcast teve que ultrapassar?

Rodolfo Oliveira (R. O.) – A pandemia foi um momento singular, porque as crises tipicamente têm impacto a um nível específico, e esta mudança teve impacto em todos os aspetos da vida das organizações e das sociedades, criando um momento único de disrupção. A prioridade foi, em primeiro lugar, criar uma comunicação que reforçasse a evidência de que a BloomCast estava disponível, operacional e a adaptar os seus modelos de trabalho e operacionais para responder aos desafios dos seus clientes, ajudando-os também a atravessar um momento desafiante. Neste sentido, o maior desafio passou por solidificar a comunicação omnicanal da empresa, aproveitando um desafio, a falta de proximidade física uns dos outros, e dos clientes para criar uma proximidade digital como nunca tinha sido forjada anteriormente (através de redes sociais, newsletters, e novas iniciativas de comunicação).

“A comunicação permite criar as pontes que ligam todos os interlocutores, numa lógica omnicanal.”

PME Magazine – Consequentemente, como é que a pandemia veio interferir no desenvolvimento/funcionamento e trabalho da empresa?

R. O.  – No que toca ao funcionamento da BloomCast procurámos aplicar a mesma lógica com os nossos clientes. Assim, mantendo a proximidade com os mesmos, procurámos reforçar a comunicação de cada um, mostrando a parceiros que se encontravam a par dos novos desafios. Muitas vezes isto passou por estar atento à comunicação feita momento a momento por cada setor, e por uma avaliação estratégica daquilo que faria sentido cada cliente comunicar, nesse espaço. Tomámos também consciência do problema em curso no nosso ecossistema, e fomos pioneiros na oferta de assinaturas de um vasto leque de meios de comunicação social, dando um sinal ao mercado, mas também proporcionando aos nossos clientes mais informação para os ajudar a manterem-se informados num momento de transformação acelerada e em que os pressupostos do seu negócio podem mudar de um dia para o outro. Temos sempre a perspetiva de que os nossos clientes são também nossos parceiros e estamos numa busca permanente da melhoria do nosso serviço para assegurar a sua satisfação.

PME Magazine – Considera que a pandemia obrigou a aceleração para a transição digital das PME e startups?

R. O.  – Claramente que, face à impossibilidade de manter uma ligação personalizada e próxima, a transição digital é o caminho para manter e reforçar a ligação entre todos os interlocutores das PME, como de qualquer empresa, independentemente da sua dimensão. No caso das startups, muitas já nascem da perceção deste espaço e momento únicos, em que a desmaterialização permite uma flexibilidade incomparavelmente superior, e em que uma empresa pode competir facilmente em qualquer mercado, especialmente no setor dos serviços. O mercado é global, e as organizações, sejam grandes, PME ou startups, podem claramente beneficiar desta oportunidade para acelerar o seu crescimento.

PME Magazine – Como é que as PME e startups tiveram que se reinventar? Qual a importância de acompanhar o processo de transformação digital e a pandemia?

R. O.  – Em primeiro lugar, os processos de negócio tiveram todos de passar para um modelo virtual e não presencial. Isso tem implicações profundas, seja ao nível do funcionamento interno, seja dos processos com clientes e fornecedores. A presença digital ganhou uma relevância maior do que no passado e, de forma transversal, registou-se um forte crescimento do comércio eletrónico.  A pandemia implicou que tudo o que era anteriormente feito de forma presencial passou a um formato desmaterializado. Do lado da comunicação, esta mudança teve como resultado, para quem não estava ainda com processos de digitalização mais sofisticados em curso, o rápido estabelecimento de uma presença digital relevante, criando canais de comunicação adequados e processos de acompanhamento dos clientes ao longo da sua jornada de interação com a empresa. Os canais de entrada/acesso dos clientes às empresas multiplicaram-se, e a comunicação passou a ser omnicanal por definição, sendo essencial assegurar por um lado a integridade e coerência da comunicação efetuadas nos diferentes canais e, por outro, a continuidade da mesma.

PME Magazine – De que modo a utilização de ferramentas digitais potencializaram o investimento?

R. O.  – As ferramentas e tecnologias digitais constituem a base para o crescimento das organizações, desde a simples renovação do conceito das funcionalidades esperadas dos sites à utilização das redes sociais para estabelecer canais de comunicação com todos os interlocutores. Também as redes sociais viram o seu papel reforçado como espaço de interação e comunicação, assim como tecnologias mais recentes, como os podcasts e os webinars. Do lado das tecnologias que tornam possível esta transformação digital, temos desde o cloud computing à inteligência de negócio e à inteligência artificial, ou a realidade aumentada, as quais permitem criar vantagens competitivas, gerar novos modelos de negócio e tornar o mundo cada vez mais próximo.

“A transição digital é o caminho para manter e reforçar a ligação entre todos os interlocutores das PME, como de qualquer empresa, independentemente da sua dimensão.”

(…)

Entrevista dada por Rodolfo Oliveira, Managing Partner da BloomCast Consulting à PME Magazine. 

Pode ler toda a entrevista aqui.

 

aqui, para outros artigos de Rodolfo Oliveira.

Projeto: A DPO Consulting e a proteção de dados em Portugal (e da Russia)

DPO bloomcast consulting

OS NOSSOS PROJETOS

A DPO Consulting é uma empresa de origem portuguesa, liderada pela advogada Elsa Veloso, que presta serviços de consultoria, com competências pluridisciplinares nas áreas da Privacidade, Proteção de Dados e Segurança da Informação.

A DPO Consulting é cliente da BloomCast desde 2017, e tendo em conta a polémica em torno da divulgação de dados de ativistas por parte da Câmara Municipal de Lisboa à embaixada Russa, foi necessária a atuação imediata ao nível da assessoria de Imprensa com o intuito de gerar oportunidades para posicionar a DPO Consulting, enquanto consultora de referência na área.

 

O DESAFIO LANÇADO:

Posicionar a DPO Consulting enquanto especialista no setor, bem como aumentar a sua notoriedade, através do caso “Russiagate”

Neste caso em particular, o “timing” foi o principal fator para o sucesso deste desafio. Em primeiro lugar, foi essencial identificar o caso e analisar os contornos possíveis da situação. Após esse reconhecimento, foi necessário priorizar as abordagens aos meios de comunicação (televisão, rádio, imprensa), demonstrando a disponibilidade da advogada e CEO da DPO Consulting, Elsa Veloso, para comentar a situação, enquanto especialista nas áreas da Privacidade, Proteção de Dados e Segurança da Informação.

Para que os meios comprovassem a validade dos comentários da advogada Elsa Veloso, foi essencial contemplar nas propostas alguns dados do seu currículo, bem como uma breve apresentação da DPO Consulting.

 

DPO na sic

Participação na SIC – Para ouvir aqui.

 

A NOSSA RESPOSTA

Deliverables:

  • Estratégia de Media Relations
  • Comunicação One-to-One com OCS específicos
  • Diversificação de OCS
  • Fortalecimento de relação com os jornalistas nacionais

Para este caso, a abordagem escolhida foi a de comunicação One-to-One com meios e jornalistas específicos, através de propostas individuais para entrevistas e participação em slots de comentários sobre a temática. Nas propostas foi realçada a visão da advogada sobre o caso de incumprimento da lei vigente que, nesta situação, era “total”.

 

DPO_dinheiro vivo

Entrevista ao Dinheiro Vivo. Ler aqui.

 

O trabalho desenvolvido entre a BloomCast e a DPO Consulting em torno deste tema, resultou em diversas participações da CEO da DPO Consulting, em vários meios de comunicação, e em diferentes formatos.

 

DPO_observador

Entrevista com a Rádio Observor. Pode ouvir aqui.

Este projeto foi o resultado de uma colaboração assente na confiança mútua, mas também no rigor, no dinamismo e celeridade que o tema exigia. A capacidade de produção de conteúdos relevantes, em tempo útil, foi essencial para o sucesso deste projeto, que também do ponto de vista técnico era bastante exigente nas matérias de Privacidade, Proteção de Dados e Segurança da Informação. A cooperação que existiu entre a BloomCast e a DPO Consulting foi fundamental para o alcance dos resultados.” – Refere Elsa Veloso, CEO da DPO Consulting.

 

Descubra mais sobre os serviços disponibilizados pela consultora portuguesa com “Knowledge on Data Protection”

 

Aqui, para ver outros Casos de Sucesso.

BloomCast trabalha Cleanwatts

cleanwatts bloomcast consulting

A empresa tecnológica Cleanwatts, que actua na área de soluções energéticas, entregou a sua comunicação à consultora BloomCast.

Para Rodolfo Oliveira, Managing Partner da BloomCast Consulting, “o sector da energia está a atravessar uma profunda transformação com a digitalização e a Cleanwatts está posicionada no centro desta mudança. Acreditamos que o nosso conhecimento do sector tecnológico e do seu impacto no setor da energia é essencial para comunicar de forma eficiente as empresas que estão na frente dessa transformação”.

A Cleanwatts está também focada no seu crescimento internacional na Europa e Américas.

Mais informações aqui .

In  Meios e Publicidade.

 

Para acompanhar mais notícia, clique aqui.

Há um novo podcast com dicas sobre Marketing e Comunicação

Bloom(Pod)Cast bloomcast marketeer

A Bloomcast Consulting tem um novo projecto digital que visa ser um espaço de partilha sobre comunicação, marketing e marcas. Através do Bloom(Pod)Cast – que, tal como o nome indica, chega em forma de podcast –, a agência promete partilhar dicas e conteúdos que possam ajudar marcas e negócios a potenciarem a sua comunicação.

Numa primeira fase, o Bloom(Pod)Cast irá focar as suas atenções na relação entre gestão, marketing, comunicação e inovação para mostrar como, em conjunto, podem ser uma alavanca em direcção a resultados mais positivos.

Rodolfo Oliveira, managing partner da Bloomcast Consulting, estará ao leme de cada episódio, guiando a conversa com profissionais convidados a dar a conhecer a respectiva experiência. Todos os meses, será divulgado um novo episódio.

«Os formatos de futuro conjugam a comodidade no acesso com a flexibilidade e diversidade dos conteúdos. Os podcasts, não sendo um fenómeno novo, conjugam estes aspectos de forma perfeita, algo a que grande parte dos meios de referência já aderiu também», explica Rodolfo Oliveira.

Em comunicado, o responsável explica que, para enriquecer a experiência, o podcast conta ainda com o vídeo como complemento. Todos os episódios poderão ser encontrados no site da agência, mas também no Spotify, SoundCloud, Google Podcasts e YouTube.

Pedro Janela, CEO do WyGroup, é o convidado do primeiro episódio e o tema escolhido para o arranque do projecto é “Comunicar marcas num mundo híbrido”

Pode ler a notícia no site da Marketeer, versão online.

 

Saiba mais sobre a BloomCast Consulting aqui e ouça o nosso primeiro episódio aqui.

Projeto: The future is Nau!

NAU bloomcast consulting

OS NOSSOS PROJETOS

A NAU é uma plataforma 100% portuguesa que promove ensino e formação online e gratuitos.

A NAU, um serviço da Unidade FCCN da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) – é cliente da BloomCast desde maio de 2020, e tendo em conta o contexto em que vivemos, foi necessário reinventar a comunicação de um projeto que visa a promoção do ensino à distância e também o ensino ao longo da vida.

 

O DESAFIO LANÇADO PELA NAU:

Aumentar a notoriedade e reconhecimento da NAU como a plataforma de referência do conhecimento lusófono, que produz conteúdos relevantes para a sociedade, nomeadamente no incentivo à requalificação e aprendizagem ao longo da vida.

Trabalhar a comunicação de temas tão diversos como: segurança, tecnologia, turismo, saúde e educação é um desafio que tem sido trabalhado com muita dedicação. Neste, o fundamental foi demonstrar que existem diversas formas de comunicar e que todas elas são eficazes, potenciando o aumento de número de inscritos e o número de cursos disponíveis, bem como o interesse que é gerado nos media nacionais.

Alcançar o tom ideal que deixasse confortável todos os intervenientes da comunicação, sendo eles os utilizadores, parceiros, membros da direção e media foi um dos maiores desafios. No entanto, através do trabalho em equipa conseguimos atingir este objetivo, e neste momento toda a comunicação flui com maior naturalidade e conseguimos melhorar a notoriedade da NAU.

 

Nau plataforma de ensino bloomcast consulting

Notícia publicada em Dinheiro Vivo.

 

A NOSSA RESPOSTA

Deliverables:

  • Estratégia de Media Relations
  • Comunicação One-to-One com OCS específicos
  • Fortalecimento de relação com os jornalistas nacionais

A abordagem escolhida foi a comunicação dos cursos que são produzidos, escolhendo o nicho próprio para comunicar e assim abrir novos mundos. Desta forma, criamos constantes e inovadoras rotas de conhecimento da lusofonia, aproveitando o efeito de escala na procura por formação, uma vez que as pessoas estão interessadas em reforçar as suas competências no digital, bem como aproveitar o período de confinamento para consolidarem ou adquirirem novos conhecimentos.

 

aprender com a nau bloomcast

Notícia publicada na TekSapo

 

De acordo com os principais objetivos da NAU:

  • Possibilitar o ensino e formação a comunidades alargadas de utilizadores, promover uma cultura de conhecimento e aprendizagem contínua, em particular na população portuguesa e estimular a literacia digital.

O trabalho desenvolvido em conjunto entre a BloomCast e a NAU tem dado resultados francamente positivos, com o recente alcance dos 100.000 utilizadores, bem como o anúncio de novos cursos de temas e áreas diversas.

 

 “A colaboração entre a BloomCast e a NAU trouxe uma dinâmica diferente à plataforma, tendo aberto caminhos e auxiliando no objetivo último de nos levar ao conhecimento de novos utilizadores e marcar o posicionamento da NAU enquanto plataforma de formação on-line gratuita para o conhecimento lusófono” , refere Pedro Cabral, Gestor a plataforma NAU – serviço gerido pela Unidade FCCN da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

 

Descubra mais, aqui, sobre o mar de conhecimento e aprendizagem contínua a bordo da NAU. 

Pode ler as duas peças aqui: Dinheiro Vivo e TekSapo ou aqui.

Entrevista Marketeer: «O que fica, no final de tudo isto, é o nosso insaciável apetite por tudo o que é novo»

marketeer rodolfo oliveira bloomcast consulting
Que impacto teve, ou está a ter, a pandemia de Covid-19 na comunicação? À semelhança das restantes áreas da sociedade, a digitalização estará entre as principais consequências da crise sanitária em virtude da necessidade de distanciamento e confinamento. E, assim sendo, neste contexto, que papel podem ter as agências na construção de novas estratégias para as marcas?

Rodolfo Oliveira, managing partner da Bloomcast Consulting, considera que «o digital criou um novo desafio às empresas que, na sua grande maioria, ou abraçam o desafio de comunicar mais e melhor, dando-lhes mais visibilidade e notoriedade, ou soçobram na miríade de ofertas e de presenças digitais da sua concorrência». A agência de comunicação poderá contribuir para garantir que cada organização tira o melhor partido possível das ferramentas à disposição, com o máximo de eficácia e coerência nas abordagens.

Em entrevista à Marketeer, o responsável sublinha ainda que «o que fica seguramente, no final de tudo isto, é o nosso insaciável apetite por tudo o que é novo, que nos permite ligar-nos uns aos outros». Segundo Rodolfo Oliveira, não será possível garantir já se as novas formas de comunicação – como webinares ou transmissões em directo – chegaram para ficar, mas é claro que a tecnologia continuará a ser um elemento fundamental.

Acompanhe a entrevista na íntegra:

A pandemia veio acelerar a digitalização dos negócios. Quais são as ferramentas ou áreas digitais em que as empresas portuguesas mais estão a apostar?

A digitalização dos negócios é uma tendência global, a que as empresas nacionais não podem estar alheias. Uma vez que muitas empresas ainda não têm uma presença online que lhes proporcione a notoriedade e visibilidade que necessitam para este novo mundo em que vivemos, a criação ou renovação da presença online com um site que seja moderno e facilmente lido em qualquer dispositivo, com uma adequada e regular gestão de SEO, etc., será seguramente uma primeira área prioritária. Essa presença não se irá circunscrever ao estabelecimento de um site com as características referidas, mas também à criação de canais de atendimento e gestão da interacção, seja com operadores humanos ou electrónicos e a incorporação de funcionalidades de comércio electrónico.

O outro pilar essencial passa pela criação de conteúdos diversificados e actuais, que incorporem imagens, vídeo, áudio e texto de forma a proporcionar informações úteis e assegurar a recorrência na visita ao site. E que implica um conhecimento e identificação dos perfis dos clientes, que torne possível a adequação da comunicação para que seja útil no conteúdo e pertinente no seu timing.

Um outro aspecto essencial passa por assegurar que a experiência proporcionada aos utilizadores é de excelência e coerente, independentemente do ponto de entrada na interacção com as empresas. Do ponto de vista do negócio, e criando novas oportunidades para as organizações que queiram inovar e transformar os seus modelos de negócio, há uma nova realidade em que a capacidade de estabelecer e gerir ligações entre vários interlocutores na cadeia de valor permite criar produtos e serviços diferenciados sem a necessidade de integrar todos os processos, o que proporciona índices de flexibilidade sem paralelo.

Por outro lado, quais são as áreas que ainda faltam explorar ou em que se verificam maiores dificuldades?

A questão da experiência, referida anteriormente, é cada vez mais um tema essencial para as empresas porque, quer seja ao nível das empresas que vendem para outros negócios quer seja nas que falam para consumidores, os canais de comunicação digitais evoluíram de forma acelerada nestes dois anos, amadureceram na sua qualidade e eficiência e forçaram novos hábitos. Será inevitável que, mal seja possível, muitos dos hábitos de trabalho feitos presencialmente regressem, mas seria pouco avisado considerar que iremos regressar à situação anterior.

As mudanças que sentimos neste ano são profundas e irão perdurar, seja nos modelos de trabalho seja nos modelos de negócio. Transversais a todas estas mudanças, as tecnologias de informação são o tecido que as une e que lhes dá sustentação, seja na criação de sites, em soluções de mobilidade, ou na informação do comportamento e preferências dos consumidores. Conforme a conhecida citação de Bill Gates, nós sobrestimamos o impacto de uma mudança a dois anos, mas subestimamos o seu impacto numa década. Aconteceu com a Internet e irá acontecer também agora.

(…)

Entrevista dada por Rodolfo Oliveira, Managing Partner da BloomCast Consulting à Marketeer. 

Pode ler toda a entrevista aqui.

 

E aqui, para outros artigos de Rodolfo Oliveira.

Energias renováveis o que se espera para 2021

Energia Simples bloomcast

Se antes considerávamos que 2020 seria o ano em que o setor energético se iria revolucionar, onde surgiriam novas iniciativas ligadas à sustentabilidade e à eficiência energética, desde cedo percebemos que não iria acontecer. 2020 foi um ano totalmente atípico em que, se por um lado, evoluímos muito a nível tecnológico, de forma a dar resposta à pandemia que nos assola, por outro, existiram setores que praticamente lutaram para não regredir.

Apesar das empresas, os governos, bem como a sociedade no geral estarem muito mais proactivos e consciencializados no que diz respeito aos temas das energias renováveis e das emissões de carbono, temeu-se que, neste ano que passou, fossem colocados de lado, face às prioridades. Contudo, apesar da situação vivida, começa-se a observar a luz ao fundo do túnel, com a descoberta da vacina e é tempo de voltarmos a debruçar-nos sobre as questões climáticas.

Se, por um lado, podemos celebrar o facto da produção renovável ter representado mais de metade (59%) da energia elétrica consumida em 2020, com destaque para a hidroelétrica e eólica, ambas com cerca de 25%, de acordo com os dados da REN – Redes Energéticas Nacionais. Por outro, olhando para o número recorde de incêndios florestais nos EUA, o aquecimento contínuo do Ártico e o aumento constante das temperaturas à superfície do oceano, é crucial que os decisores políticos, empresários e a sociedade em geral tomem ainda mais consciência desta situação e unam os esforços para abrandar, conter e, em última análise, inverter as emissões de gases com efeito de estufa, o maior impulsionador do aquecimento global.

É urgente que todos os países coloquem novamente as energias renováveis enquanto prioridade nas suas estratégias já este ano, de forma que se alcancem desenvolvimentos promissores tanto na inovação como na economia. Exemplo disso, são os Estados Unidos da América, que agora com uma nova administração, estão a prometer grandes investimentos em energia sustentável, entre outros que começam agora a dar passos significativos nesta área. Já Portugal e, de acordo com os dados do Eurostat, em 2019 as energias renováveis representaram 22,1% do uso total de energia para aquecimento e refrigeração na União Europeia, um aumento face aos 21,2% registados no ano anterior. Em Portugal esta percentagem foi quase o dobro da média europeia: 41,6%, sendo que há uma década, em 2010, era de apenas 24%.

De facto, muito pode acontecer num ano – especialmente num com tanta mudança e impacto global como 2021. Perante este contexto, identificamos três formas de lutarmos contra as alterações climáticas e que, consequentemente, terão impacto na sociedade e na economia.

  1. Investir em infraestruturas de veículos elétricos terá efeitos positivos em toda a economia:

 

  1. O papel do armazenamento na obtenção de uma rede elétrica 100% renovável irá crescer

 

  1. As empresas, no geral, reavaliarão os seus compromissos de sustentabilidade

 

 

Pode ler o artigo completo em Dinheiro Vivo, versão online. Artigo de Opinião de Manuel Azevedo, CEO da Energia Simples.

 

Aqui  pode encontrar outros conteúdos que fazem parte do trabalho da BloomCast.

Plataforma Nau oferece cursos gratuitos aos portugueses

Plataforma Nau oferece cursos gratuitos aos portugueses

Com os portugueses a atravessarem novo período de confinamento, a plataforma NAU reforça a gama de cursos online gratuitos disponíveis para todos os portugueses.

plataforma NAU, um serviço gerido pela unidade da Computação Científica Nacional (FCCN) da Fundação para a Tecnologia e para a Ciência (FCT), e já conta com 100.000 utilizadores que recorrem a esta para avançar nas suas qualificações digitais, de forma gratuita e certificada.

A plataforma disponibiliza cursos versados em segurança e tecnologia (como é o exemplo do cidadão ciberseguro, introdução à informação classificada ou RGPD), mas também para várias outras áreas, como o turismo (tendo estreado recentemente um curso dedicado à iniciação da prova de vinhos), saúde (com cursos sobre cuidados continuados, uso seguro e responsável do medicamento, etc.) e ainda educação (sustentabilidade, comunicação digital, educação inclusiva).

Visite a página NAU e junte-se a uma das 100.000 pessoas que querem fazer parte da comunidade de navegadores que procuram saber mais.

Considerando a quantidade de pessoas que nesta altura estará em casa, sem saber muito bem o que fazer, propor a realização de alguns destes cursos – como os que promovem a segurança digital, tão necessária para se acautelarem contra todo o tipo de abusos que se vão multiplicando na internet – poderá ser uma excelente opção. E, como foi referido, são cursos completamente gratuitos, sem qualquer custo associado.

Publicado, inicialmente, no Blog Aberto de Madrugada.

Pode ver, aqui, outras iniciativas dos nossos Clientes.

1 2 3 4 9